10 fevereiro 2018

Jose Matos Guita (1937-2018)


O Professor José Rodrigues Matos Guita faleceu dia 5 de Fevereiro 2018. Era natural de Faro (1937), tendo-se radicado em Lisboa desde o início da sua vida universitária. Personalidade de elevada craveira intelectual, era Licenciado em Ciências Histórico-Filosóficas pela Faculdade de Letras de Lisboa. Foi professor no Liceu Sá da Bandeira em Santarém e no Liceu Passos Manuel em Lisboa. No Instituto Superior de Línguas e Administração, equiparado a doutorado, leccionou durante 20 anos, a Cadeira de História Contemporânea. Convidado para professor do Colégio Militar em Lisboa, desempenhou    vários cargos de 1968 a 1998. Publicou várias obras literárias: "Voando sobre um transplante" (2004), "Uma Família Algarvia" (2005), "Vida e Morte de um Algarvio Africanista" (2008), "O velho e a Helena Romena" (2008) e " A Face Oculta do Casal" (2010). Dotado de uma boa capacidade oratória, tinha grandes qualidades pedagógicas e participava regularmente em tertúlias literárias, nomeadamente na Sociedade Portuguesa de Escritores e Artistas Médicos (SOPEAM) e no ACMP. Era polemista, dotado de um espírito crítico, irreverente e inconformista, dizia de si próprio que "era um individualista", não se enquadrando em qualquer organização política ou religiosa, embora partilhasse os ideais de esquerda, do socialismo democrático. Era um melómeno, particularmente amante da chamada música erudita. Chegou a realizar um pequeno filme/vídeo  com banda musical exclusivamente clássica. A sua cultura era vasta, desde as humanidades às ciências. Era profundamente urbano, citadino, não apreciava a vida campestre. Era extremamente racionalista, pouco dado à emoção estética, pouco sensível às artes plásticas contemporâneas embora apreciador do período renascentista e clássico. Deixa um vazio crítico social, um olhar necessário e crítico de que tanto necessitamos, face à vertigem  do nosso tempo consumista e sem espaço para a reflexão. Até sempre amigo Professor Zé Guita.

Júlio Pêgo ( 8 de Fevereiro de 2018)

22 dezembro 2017

Salão Sócios . Sociedade Nacional Belas Artes. 2017


                                                                                  Poeta Rui Cóias

Julio Pêgo-S/Título-Ferro,Inx e acrílico




                                        Maria José ESCOLÁSTICO- S/Título. Acrílico S/Tela



Paula Rito- "Ventos, Sombras". Acrílico e papel S/Tela






Rosário Mateus- "A dama e o Unicórnio". Acrílico S/Tela



SALÃO CONVÍVIO dos ARTISTAS SÓCIOS/ 2017 ,de 15 Dezembro 2017 a 6 de Janeiro 2018.
SNBA- Rua Barata Salgueiro-LISBOA



















MACAU-UMEAL. Exposição Colectiva Fundação Rui Cunha7Nov.2017











O XI Congresso UMEAL ( União dos Médicos Escritores e Artistas Lusófonos) teve lugar em Macau, com o tema "Medicina e Criatividade", de 31 Outubro a 4 Novembro 2017. Teve uma excelente organização do Dr. Shee Vá. Entre múltiplas actividades, conferências, comunicações e eventos, a Fundação Rui Cunha cedeu o seu espaço de Galeria de Arte. Aqui expuseram Pintura: Júlio Pêgo e Maria José Escolástico e Tapeçaria: Maria José Leal.

17 novembro 2017

Aquila Operandi integra a Colecção de pintura da Fundação Rui Cunha, Macau

Aquila Operandi - Óleo s/tela-40x30-2017

No  XI Congresso UMEAL (União dos Médicos Escritores e Artistas Lusófonos) realizado em Macau de 31 Outubro a 4 Novembro 2017, coordenado pelo Dr. Shee Vá, participamos numa exposição colectiva na Galeria de Arte da Fundação Rui Cunha. Entre outros, participaram Maria José Leal(tapeçaria) e Maria José Escolástico (pintura). Esta obra foi selecionada para integrar o acervo de Artes Plásticas da Fundação Rui Cunha.

17 abril 2017

Luisa Gonçalves-Herrar é Umano


 
A médica psiquiatra e escritora Luisa Gonçalves lançou o seu último livro, "Herrar é Umano", no dia 6 de Abril 2017, na Livraria Bulhosa, em Lisboa. O livro foi apresentado pela psicóloga Isabel Leal, perante uma plateia atenta de amigos, admiradores e público que esgotaram o espaço disponível da prestigiada livraria.
A obra literária reflete vivências e prática psiquiátrica de mais de 20 anos com reclusos, em histórias reais e ficcionadas pela autora, de fino recorte literário e sensibilidade.
Psicoarte felicita a autora por esta obra de grande maturidade e humanismo.

03 abril 2017

Teresa Oliveira- Retrospectiva/Pintura.4 Abril.ACMP

A nossa sócia e ilustre pintora e escritora Teresa Oliveira  vai inaugurar uma mostra da sua pintura: RETROSPECTIVA, amanhã, dia 4 de Abril 2017, às 19 H. na Galeria de Arte do ACMP.
Aqui fica o Convite .
Av. Elias Garcia, 123, 1º Lisboa

16 novembro 2016

S/Título.Óleo S/Tela. 55x46.


A pintura percorre caminhos e veredas, nas esquinas da vida, no espaço geográfico do tempo e do espaço, nos labirintos do pensamento e fantasia sulcando e desbravando emoções à revelia da razão. A dicotomia clássica do "gosto e não gosto" está inserida no cartesianismo do corpo e da mente, da razão e emoção, do compreender e não compreender, do bonito e do feio, na atracção e repulsa à luz da lupa do conhecimento adquirido. Amadeo de Souza-Cardoso foi considerado pela crítica da época, como um louco,  quando se atreveu a mostrar os seus trabalhos numa galeria de arte na cidade do Porto. O mesmo já se tinha verificado no século XIX, quando os impressionistas foram recusados no Salão de Arte de Paris. Parece que a criatividade da arte vai à frente dos cânones vigentes, da cartilha do gosto oficial, do academismo encerrado e prisioneiro de si próprio.
Será na abertura, pesquisa, ousadia, irreverência, remar contra a maré, que devemos encontrar o cimento no trilhar do homem em construção permanente.
Julio Pêgo

14 novembro 2016

Teresa de Oliveira-lança livro ilustrado por Catarina Redol, no ACMP.

Maria Teresa de Oliveira, artista plástica, pedopsiquiatra e escritora, vai lançar o seu último livro" O abeto e outras histórias recortadas", no Auto-Club Médico Português, Av. Elias Garcia 123, Lisboa, no dia 17 de Novembro 2016, às 19 horas.
Teresa de Oliveira dedica o livro aos seus pais, engenheiros silvicultores, que tinham uma casa onde também morava ao lado, um abeto. Teresa recorda precisamente essa memória da sua infância e delicia-nos com uma bela história, chamando a atenção para a importância da árvore, a vida, o amor e o respeito pela natureza.
A apresentação do livro será pelo seu amigo e colega Júlio Pêgo.
Aqui fica o CONVITE.